Archive for December, 2007

Instantes Vistos Pelos Fotógrafos do Jornal Público – 2007

publico1.jpg

O Jornal Público lançou recentemente um slideshow de fotografias que marcam o ano que agora termina. São de excelente qualidade e revelam uma sensibilidade muito grande para captar a essencia do momento.

Para o bem ou para o mal, Portugal é assim.

Advertisements

Arte de Rua Fantástica

wenner-1.jpg

Em cidades e vilas em todo o mundo os peões podem ver ‘quadros’ nas calçadas ou superfícies pavimentadas decoradas com giz ou pastéis. Embora esta forma de arte seja pouco conhecida, é uma longa tradição na Europa e se pensa ter origem na Itália durante o século XVI.

Pensa-se que começou com vagabundos que muitas vezes viviam exclusivamente das moedas atiradas ao seu desenho como homenagem à Madonna e possivelmente pela habilidade destes.

Utilizando giz, tijolo, carvão, e pedras coloridas, em Itália, são chamados Madonnari depois de reproduzirem imagens da Madonna (Santa Maria). O seu trabalho está ligado à história rica da
arte religiosa italiana. (Uma oferenda dada quer antes, quer em gratidão por um milagre ou respondida oração)

wenner2.jpg

Durante séculos os madonnari eram verdadeiros artistas folk, reproduzindo imagens com simples materiais. Durante a Segunda Guerra Mundial, muitos destes artistas sofreram dificuldades ficaram em número muito reduzido. Graças ao Festival de Pintura no Grazie di Curtatone no Norte da Itália, esta forma de arte foi revitalizada.

 

Como artista destacado desta desta arte está Kurt Wenner que tem combinado pintura tradicional de rua com técnicas clássicas: composição, ilusão, e ao inventar uma forma de arte própria. Este passou a ser conhecido como anamórfico, Ilusionista, ou pintor 3D de rua.

Wenner tem desenvolvido a sua técnica e tem inspirado festivais e público em todo o mundo, bem como outros a continuar a prática de interposição de imagens de ícones e cultura popular para um público sempre em mudança.

No entanto a essência desta arte permaneceu inalterada, embora os seus ‘quadros’ continuem a desaparecer após cada Festival, ou com as primeiras chuvas.

Traduzido e adaptado de “A Brief History of Street Painting” do site de Kurt Wenner.

Poderão ver também outros trabalhos deste artista. São muito interessantes. Parecem do Miguel Ângelo dos nossos dias.

wenner-3.jpg

O seu site será adicionado à lista ‘Ligações da Caixa‘.

10 Ways – Criatividade e Design

getty.jpg

Um dia os nossos albuns de fotografias poderão ser assim. Mais cedo do que se pensa.

A Getty Images revela 10 formas criativas de vermos as nossas imagens. 10 artistas que com astucia nos mostram perspectivas alternativas para os nossos albuns caseiros.

Com criatividade e design pode-se alcançar formas de visualização, das nossas foto caseiras, realmente dinâmicas e interactivas. Penso até que seria um excelente modo de visualização de fotos no Picasa, Orkut, Hi5, ou qualquer outro site com introdução de imagética.

Mas vejam por vocês próprios.

O meu favorito é o Album de Zoom Infinito, mas poderão ver todos as 10 formas aqui.

Explorem e divirtam-se.

Dia dos Números – 27 de Dezembro

tele-sms-1.jpg

Hoje é para a comunicação social o dia dos números. Como que o balanço do ano.

Desde manha que tem sido um escorrer de contagens, estatísticas e demais ‘banalísticas’ quantificadas.

Começou com o número de sms’s trocadas no Natal. Cerca de 900 milhões. Dá para ficar a pensar. Para quê tanta mensagem? Penso que a moda pegou. Eu proprio recebi 5 sms de uma única pessoa. Imagino que ela cada vez que recebia uma daquelas mensagens de humor sobre o Natal, ria-se e rapidamente reenviava. No entanto, fazendo algumas contas de cabeça, 900 milhões será o equivalente a mais ou menos cada pessoa mandar 10 sms. O que até nem é assim tão difícil de imaginar. Olhando para a nossa lista telefónica, conseguimos com facilidade escolher dez pessoas para tal tarefa.

Depois veio na comunicação social o valor médio gasto pelos ‘tugas’ nas compras de Natal: 270 euros. Ora, não sei como chegaram a este resultado, mas tendo em conta a crise económica generalizada pelas pessoas que conheço e o facto de eu próprio ter gasto muito menos desse valor avançado, conclui-se que alguém anda a viver bem. E esse alguém é uma minoria que concerteza controla grande da liquidez do dinheiro do mercado. Alguém anda a dar prendas no valor de milhares de euros!! Poxa! Pois, crise hein?!

Para terminar, porque os números avançados foram muitos mas só escolhi estes porque me parecem de alguma forma mais reflexivos de uma dislexia social, a percentagem de portugueses que consegue poupar alguma coisa da miséria do seu ordenado. O valor ronda os 60%. Sim. Segundo a DECO (defesa do consumidor), apenas 60% dos portugueses consegue poupar alguma coisa todos os meses. [valor percentual rectificado. Onde se lia 40% é afinal 60%. Desculpem o lapso.]

Quer dizer que pelo menos 4 milhões de portugueses não conseguem ou não querem poupar parte do seu ordenado mensalmente. Isto, desculpem-me, é trágico. Revela uma falha gravissima na nossa mentalidade no sentido de responsabilidade individual e de solidariedade colectiva: A distribuição da riqueza produzida é desequilibrada e na generalidade não se sabe gerir dinheiro.

É melhor nem falar das mortes na estrada….

Gostaria de apontar uma possível solução, mas não encontro. Ao menos o problema está identificado.

Uma coisa é certa: Se começarmos a pensar, chegaremos a algum lugar. Melhor.

Ajuda Concentrada – Dicionário, Enciclopédia, Thesaurus…

dict.jpg

Para quem todos os dias procura definições pela net, ou então tem mesmo uma procura esporádica, existe desde à algum tempo o site dictionary.com

Este site concentra a informação, sobre determinada palavra, ao disponibilizar em separadores os vários campos onde podemos pesquisar. Desde o dicionário, passando pela enciclopédia, o thesaurus, referencias e a web na generalidade.

Um dos seus outros pontos fortes está nas suas fontes de referencia para revelar determinada definição. Este revela fontes como o wordnet.com da Universidade de Princeton, ou então o American Heritage Dictionary, entre outros. Mostra a etimologia da palavra procurada e até dá traduções para várias línguas.

No entanto, está em inglês, o que se pode revelar um pouco chato para ‘nóis tugas’. Mas nada como consultar o dicionário da Priberam para resolver o problema.

Explorem.

Adicionada página sobre o Autor

Para aquele pessoal que está super (epá, mas super mesmo) desejoso de saber quem é que põe as coisas na caixinha de curiosidades, pode agora dar uma olhada na página ‘sobre o autor‘ que adicionei recentemente.

Agora não poderão dizer que não fazem ideia que quem escreve estas coisas…

E Dura, Dura, Dura, Dura…

malucos_do_riso_2003_top5.jpg

‘Os Malucos do riso’, recordistas de audiências, estão de volta e já fazem vitimas.

A Sic volta a por no ar o seu programa mais que tudo. O recordista de audiências está de volta e revela um apetite voraz! Segundo mediamonitor as audiências rondam os lugares cimeiros, ficando mesmo à frente desse grande marco informativo da TVI: o Jornal Nacional, tal como este site revela os dados para o dia 19 dez 2007. Não fosse haver futebol na RTP1 e o número de vitimas seria maior. Só as novelas da TVI são imbatíveis.

No entanto, este cenário revela questões curiosas:

Como é possível um programa antigo continuar a ter tanta popularidade? Será que o que se faz actualmente tem ainda menos qualidade? O que se passa com a informação da TVI?

Bom,… A formula do programa é de sucesso, não obstante o facto de poder ter sido bem melhor concebido. E realmente a qualidade da programação de hoje em dia anda nas ruas da amargura. Mais do que um reflexo da crise económica, é reflexo de um crise cultural e de mentalidades. Por exemplo, é sintomática a razão pela qual a RTP2, tendo uma programação relativamente cuidada, não tem mais audiências. E a resposta à terceira questão é outra questão: A TVI porventura tem informação? A mim não me parece…

Já agora, a titulo de exemplo vejam este gráfico:

graf-1.jpg

Apesar da informação da TVI ser algo deplorável, esta encontra-se em terceiro lugar. Pudera! Se estivesse em quarto é que era uma crise pois quereria dizer que nem as jogadas de propaganda deste canal estariam a surtir efeito. No entanto, nem essa posição merecia, já que a meu ver a RTP2 revela sucintamente o essencial da informação sem populismos, ao contrario de outras…

(imagem de cabeçalho: sic.pt)